Browse By

Camarões, a África em Miniatura

O país é muitas vezes chamado de “África em miniatura “, pela sua diversidade geológica e cultural. Recursos naturais incluem praias, desertos, montanhas, florestas tropicais e savanas. O ponto mais alto é o Monte Camarões no sudoeste, e as cidades mais populosas são Douala, Yaoundé e Garoua. Camarões é o lar de mais de 200 grupos linguísticos diferentes. O país é conhecido por seus estilos musicais nativos, especialmente makossa e bikutsi, e para a sua sucessiva seleção nacional de futebol. Francês e inglês são as línguas oficiais. O país oferece uma das paisagens mais maravilhosos da África Negra.

Por ser um país novo, ainda se estruturando, as informações sobre os pontos turísticos são difíceis de achar, imagens de qualidade então mais ainda.

DOUALA

É um centro econômico importante habitado por diversas etnias e além de apresentar uma estrutura social muito marcada.

Entre os lugares mais interessantes encontra-se o Museu ou os mercados da cidade, entre os que destaca o Museo de Artesanato de Camarão, com numerosos produtos artesanais, se desejar ver algo mais pitoresco. Por último, nada melhor que um passeio pelo Bosque dos Monos.

Fora da cidade, a 10 quilômetros, concretamente em N’Donga situa-se a leproseria da Bibamba que oferece artesanato de cesteria.

LIMBE

Anteriormente conhecida como Vitória, esta cidade encontra-se a uns 80 quilômetros de Douala. Está escondida entre a exuberante vegetação. É uma cidade marcada influência britânica. Merece a pena acercar-se ao porto e ao Jardim Botânico. Também se recomenda-se dar um banho em suas praias de areia negra, como a Praia das Seis Milhas.

MONTE CAMARÃO

Tem uma altitude de 4.100 metros de altitude cuja cota pode-se atingir a pé durante a estação seca desde a população de Buea. dispõe de três refúgios onde pode-se fazer diversas etapas antes de lograr sua ascensão. Necessita-se obter uma permissão oficial e o acompanhamento de um guia especializado.

YAOUNDE

É a capital do país, lugar onde mistura-se a tradição e a modernidade. Está cravada num lugar rodeado de sete colinas. Entre os edificios e grandes avenidas surgem alguns lugares tradicionais africano como o Mercado le M’foundie e os distritos de Mong-Mbi, Mong-Ada, Mokolo e Madagascar. Destaca-se como uma visita obrigatória o Monte Febe pelos suas bonitas vistas e o Museu Tibar e Bamoun, a cargo dos beneditinos. Outro dos museus interessantes é o Museu de Arte Camerunês, o Museu Nacional e o Museu de Arte Negro, no bairro Melen. Neste mesmo bairro um espetáculo digno de ver é a Missa que celebra-se aos domingos ao ar livre; há música, coros e danças africanas.

Pode-se finalizar a visita à cidade com um passeio até a Catedral e a Grande Mesquita. A Capela do Monastério está decorada com tecidos e arte tipicamente camerunês.

Aos arredores da cidade encontram-se em direção norte as Cataratas Machtigal e Monatele no rio Sanaga. Ao sul as Cascatas de Ebogo sobre o rio Nyong e as Grutas Pigméias de Akok-Bekoe e Villa Carce.

O OESTE DE CAMARÃO

Entre o mais destacado desta zona aparecem as grandes plantações de bananas e os vulcões apagados como o Bamboura e Manengouba.

Toda esta zona disfruta de um clima temperado e é rica em vegetação. É a zona mais povoada de Camarão por ser a mais rica. Está habitada pelo povo Bamileke, um grupo muito empreendedor e comerciante.

Pode-se fazer uma visita à Missão de Babete que encontra-se a 4 quilômetros da cidade para penetrar na selva.

DSCHANG

Encontra-se a 1.400 metros de altitude. Na cidade pode-se realizar uma visita ao Mercado, mas o melhor é entrar-se na selva e poder desfrutar com as esplêndidas Cataratas de Mamy-Wata e a Cascata da Lenguam. Todo o vale está rodeado de belos acantilados.

FOUMBAM

É a sede do sultanato Bamoum e seus atrativos estão relacionados com este. Dispõe de dois museus, o Museu do Palácio do Sultão que pode ser visitado às vezes e o próprio Palácio. Outro museu muito interessante é o Museu de Artes e Tradições. São muito chamativas as casas tradicionais e a praça.

Nos mercados da cidade pode-se comprar numerosos artigos de artesanato como as pipas de barro, objetos realizados em bronze, etc.

BAMENDA

Nesta bonita cidade pode-se comprar algumas coisas na Cooperativa de Artesanato onde se fabrica cerâmica, cesteria e instrumentos musicais.

O mais singular é a Rota da Selva onde tem-se a possibilidade de ver ao vivo os costumes de seus habitantes.

N’KONGSAMBA

É uma região montanhosa que sobressai por ter sido a antiga capital dos Bamileke.

KEKEM

É uma visita obrigatória para desfrutar da natureza selvagem. O percurso se faz através de plantações de café, cacau e bananas até chegar a umas pendentes que atingem os 80 metros de altitude e conhecidas como as Pendentes de Ekom. Pode-se fazer uma caminhada desde o povo de Bayou.

BAFOUSSAM

Aqui pode-se visitar a fábrica de café e conhecer todo o processo que segue para sua elaboração. É uma cidade relativamente nova em pleno desenvolvimento, muito comercial e animada.

KRIBI

Na cidade há umas praias muito bonitas como as de Costa Branca, Cocotier Plage e Londje. Também pode-se viajar, a 7 quilômetros da cidade, para descobrir Cataratas da Lobe, umas espetaculares cataratas que caem diretamente do mar.

O NORTE DE CAMERÚN

É a zona mais chamativa de Camarão pelos suas atrativas cidades muçulmanas Marona e Garona.

N’GAONDERE

Deve visitar o Mercado Grande que está dedicado principalmente ao artesanato local, e o Mercado Pequeno onde pode-se encontrar tudo o que se busque. Além das visitas ao Palácio do Lamido e a Grande Mesquita.

Próximo a cidade encontram-se as Cataratas de Tello e os Lagos do Cráter. Uma excursão recomendada é a subida ao Monte Daran, chegando até o própria cume.

GARONA

É o país dos bororos, um povo nômade conhecido pelas jóias feitas em ouro que adornam suas cabeças. A zona oferece paisagens muito chamativas e reservas naturais como a Benoue ou o Faro. Aos sábados tem lugar um animado mercadinho.

MAGA

A uns 80 quilômetros de Marona encontra-se esta cidade que é a entrada sul ao Parque de Wasa. Muito perto está o pequeno povo de Pons, que é a fronteira com o Tchad, fazendo de linha fronteriça o rio Logone.

É um lugar ideal para o safari fotográfico, pois em suas praias de fina areia vivem numerosas aves.

Fonte: www.rumbo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>